BRASIL EMPREENDEDOR – BARÃO DE MAUÁ

Mais uma vez voltamos nossos olhos para o passado e apresentamos a história de um dos nossos maiores empresários, o Barão de Mauá. Para esse post, sugerimos que dispense o café, escolha um momento de relaxamento apropriado e aprecie este ótimo filme que nos mostra que nosso destino só depende de nós:

Irineu Evangelista de Souza (1813-1889), o Barão de Mauá, ou Visconde de Mauá foi um notável empresário, industrial, banqueiro, político e diplomata brasileiro. É um símbolo do capitalismo empreendedor brasileiro do século XIX. O Barão de Mauá nasceu em Arroio Grande, município de Jaguarão, Rio Grande do Sul. Órfão de pai viajou para o Rio de Janeiro, em companhia de um tio, capitão da marinha mercante e, aos 11 anos, empregou-se como balconista de uma loja de tecidos. Passando a trabalhar na firma importadora de Ricardo Carruthers (1830), este lhe ensinou inglês, contabilidade e a arte de comerciar. Aos 23 anos tornou-se gerente e logo depois sócio da firma. A viagem que fez à Inglaterra em busca de recursos (1840), convenceu-o de que o Brasil deveria caminhar para a industrialização. Iniciando sozinho um ousado empreendimento de construir os estaleiros da Companhia Ponta da Areia, fundou a indústria naval brasileira (1846) em Niterói no RJ e, em um ano, já tinha a maior indústria do país empregando mais de mil operários e produzindo navios, caldeiras para máquinas a vapor, engenhos de açúcar, guindastes, prensas, armas e tubos para encanamentos de água. A partir de então, dividiu-se entre as atividades de industrial e banqueiro.

O Barão de Mauá foi pioneiro no campo dos serviços públicos: fundou uma companhia de gás para a iluminação pública do Rio de Janeiro (1851), organizou as companhias de navegação a vapor no Rio Grande do Sul e no Amazonas (1852), implantou a primeira estrada de ferro, da Raiz da Serra a cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro (1854), inaugurou o trecho inicial da União e Indústria, primeira rodovia pavimentada do país entre Petrópolis e Juiz de Fora (1854), realizou o assentamento do cabo submarino (1874) e muitas outras iniciativas.